Pop, rock, country ou jazz. Queremos Lady Gaga!

LADY_GAGA_SUPERBOWL


Após uma temporada de Jazz, ao lado de Tony Bennet, Lady Gaga resolveu aparecer novamente, em outubro de 2016, com um álbum, mais uma vez, diferente do que costumava apresentar em sua época de “Poker Face” e “Bad Romance”. “Joanne” trouxe uma Gaga country/pop, algo que agradou parte de seus fãs, mas que desagradou uma outra parte que gritava para seu retorno ao mundo pop. As letras do disco soavam mais intimistas. Uma hora todo mundo precisa parar pra refletir sobre a vida, não é mesmo? E por que não fazer essa reflexão em um álbum?

Após alguns meses de divulgação com o chapéu rosa (referência à capa de Joanne) Lady Gaga, finalmente, parece estar atendendo aos “gritos” de seus little monters (nome carinhoso dado aos seus fãs). Após o espetáculo no Super Bowl, em fevereiro, quando relembrou os seus sucessos em uma apresentação impecável, Gaga continuou exibindo sua versatilidade ao cantar ao lado dos roqueiros do Metallica, também em fevereiro, no Grammy. A vontade de voltar aos holofotes é maior que a Mother Monster e, por isso, após dois clipes simples (“Perfect Illusion” e “Million Reasons”), “John Wayne” trouxe de volta a sua conhecida extravagância nos vídeos.

Apresentação no Super Bowl:

O mais recente “retorno” de Lady Gaga foi no Festival Coachella, em março deste ano, em um show de tirar o fôlego com uma surpresinha no final, uma nova música apresentada, “The Cure”. A cura definitiva da mulher determinada a dar um tempo no pop? Parece que sim. A faixa não é apropriada para coreografias, mas a sua sonoridade e letra aproxima-se com a Gaga que a maioria conhece. É com toda essa versatilidade de dar inveja a muito artista por aí que a diva se prepara para se apresentar no Brasil, no Rock in Rio, em setembro. Já dá pra perceber que novidade é o que não vai faltar na apresentação da loira, né?! Sabemos que estilo musical não é problema para ela, mas sim mais uma forma de mostrar o quão talentosa é.

Lyric Video de The Cure: