Projeto Social do Guarulhense e da Liga Ponto de Encontro ajuda pessoas com transtornos mentais

Por Deyvid Xavier

Foto: Deyvid Xavier
Foto: Deyvid Xavier

A prática esportiva é prioridade no Clube Atlético Guarulhense. O Galo já tem espaço em várias modalidades esportivas, como futsal, vôlei, badminton e futebol society. Mas o Guarulhense também abre espaços para os Projetos Sociais, como a ginástica para a terceira idade, na quadra localizada no Cocaia, a escolinha de futsal gratuita, no mesmo local e agora, a prática da modalidade para pessoas que sofrem de transtornos mentais, na Arena Ponto de Encontro, em parceria com a Liga de mesmo nome, na região da Vila Augusta.

Andreia Lima, enfermeira responsável por acompanhar as pessoas em tratamento e que representa o Centro de Atenção Psicossocial (Caps), conta como chegou até a Liga e o Guarulhense e conseguiu um espaço para a ressocialização dos pacientes. “Nós já mudamos várias vezes, já fizemos esta ação em vários locais, porque sempre precisam dos horários em que estamos ou as pessoas não têm paciência com eles. Em outros locais, tivemos problemas pelo fato da quadra não ser coberta ou pela distância, já que estamos perto do CEMEG. Então, ficamos procurando e o pai de um dos pacientes mora aqui perto e nos apresentou o presidente Carlos Alberto. Nós viemos conversar e ele cedeu. Foi muito gentil. Nós agradecemos porque a quadra é sensacional. Tem banheiro, a quadra é coberta e tem iluminação’, disse a enfermeira.

Foto: Deyvid Xavier
Foto: Deyvid Xavier

Com o espaço conquistado, cedido pela Liga Ponto de Encontro, Andreia Lima também ressalta a evolução dos pacientes no tratamento e a mudança psicológica com a prática da atividade física apoiada pelo Guarulhense. “É nítido o ânimo deles. Dependendo da patologia (estudo da doença da pessoa) que eles tenham, o desânimo anda ao lado, em tudo, desde levantar, para comer e até fazer qualquer atividade dentro de casa. Então, eles mesmos falando que querem fazer alguma atividade física, já é um ganho de 100%. Eles são super interessados. Quando chega na quarta-feira, eles ficam mais animados. A atividade começa às 13 horas, e quando são 10 horas, já tem paciente na porta do Caps, perguntando se nós vamos. Durante a semana, um fica perguntando para o outro “você vai, não é? Você não vai faltar?!”,completou a enfermeira do Caps.

O Projeto Social conta com cerca de 15 pacientes do Caps e é realizado às quartas-feiras, das 13 às 14 horas, na Arena Ponto de Encontro, localizada na rua Professor Ferreira Paulino, 105, na Vila Augusta.